"O que queres ser quando fores grande?" marca regresso dos espetáculos à Casa da Cultura e ao CMAD


O regresso dos espetáculos à Casa da Cultura fez-se com a certeza de que "todos precisamos de arte para viver". Nas noites de 5 e 6 de junho deu-se o reencontro físico do público com os artistas e dos artistas com o público, sempre com o cumprimento de todas as regras de segurança que a situação pandémica exige. "O que queres ser quando fores grande?" foi - mais do que um espetáculo formal - um exercício de liberdade pessoal e artística. Um exercício consciente sobre a coragem de que todos precisamos para enfrentar estes tempos difíceis, mas também um testemunho - feito de testemunhos - sobre a esperança no futuro. Os tempos de confinamento, o afastamento dos palcos, a saudade das salas de ensaio, dos colegas, do público e das artes, foi o que moveu Artur Guimarães, Catarina Alves, João A. Guimarães e Rafael Barreto para a construção deste espetáculo feito de histórias sobre uma realidade que todos experienciamos. Histórias que ajudam à reflexão, mas também histórias de superação, que convidam o pensamento a evadir-se e a visitar outras realidades. E não é esse também o papel da cultura e das artes? Em cima do palco dançou-se, cantou-se e tocou-se, num exercício de superação, feito para que o publico se sentisse confortável e seguro, neste que também foi um espetáculo para ultrapassar a barreira do medo. E o público presente reconheceu esse papel, recebendo este regresso das artes da melhor maneira possível - com uma ovação em pé!  "O que queres ser quando fores grande?" contou com organização do Conservatório de Música e Artes do Dão e da Associação de Música e Artes do Dão, em parceria com o Município e Santa Comba Dão.